Engenheiros agrônomos são essenciais para a produção de alimentos no mundo
10/10/2019 12h40

 

Presidida pelo deputado Themístocles Filho, a sessão foi bastante prestigiada e contou com as presenças de representantes de órgãos e entidades do setor primário, como o secretário de Agricultura Familiar, Herbert Buenos Ayres, que representou o governador Wellington Dias; o diretor geral do Emater, Francisco Guedes Alcoforado; Florentino Filho, do Sindicato dos Engenheiros Agrônomos; e do ex-governador Guilherme Melo, dentre outros.
Ao saudar os homenageados, o deputado Francisco Limma disse que sua categoria é tão importante e abençoada cujo dia é comemorado em 12 de outubro, dia da Padroeira do Brasil e da criança. “Nesse momento devemos destacar a importância do engenheiro agrônomo para a produção de alimentos para as populações do mundo todo”, disse Limma, que citou os nomes dos ex-deputados que exercem a agronomia, embora atualmente só conte com ele na Assembleia.
Segundo Limma, a FAO, órgão de agricultura da ONU, revelou em estudo recente que a população mundia cresceu cerca de 50, o que tem exigido mais ainda participação dos engenheiros agrônomos na produção de novas tecnologias de alimentos para atender a fome da população mundial.
Ele defendeu maior participação da agricultura familiar nessa luta de produzir alimentos para a população do mundo, seja média e produção.
O deputado destacou ainda a sólida formação humanitária do agrônomo, que também tem como função a orientação das comunidades onde está inserido. Ele também falou do dilema quando resolveu estudar agronomia. “Meus pais perguntaram se eu estava querendo voltar pra roça, mas insisti e hoje sinto orgulho se algum filho quiser voltar pra roça e ajudar no combate à fome do povo”, disse Limma, que se formou na 17a. Turma do curso de agronomia da UFIPI, há cerca de 19 anos.
Francisco Limma disse ainda que “o papel do agrônomo não é apenas tecnicista, mas também para cuidar das pessoas e seu desenvolvimento, com a tarefa de produzir alimentos para a humanidade”. E concluiu citando um ditado popular: “Se planta na roça, a cidade almoça; e se planta, a cidade janta.”
O presidente do CREA-Conselho Regional de Engenharia e Agricultura, Francisco Ulysses Filho, agradeceu o deputado Limma pela iniciativa de homenagear os agrônomos, uma forma de resgatar o papel da categoria na produção de alimentos para o mundo. Falou também da migração de produtores para o sul do país, que tem um clima temperado como o da Europa. E defende a necessidade de investimento nas áreas de clima tropical.
Já o presidente da Embrapa Meio Norte, Luis Fernando Leite, disse que “o grande desafio da agricultura do país é deixar de ser importadora de alimentos. Serão precisos avanços teconológicos, com a manutenção do equilíbrio ambiental, a força motriz da economia”, disse ele.
Repórter: Edmundo Moreira.A

Atendendo requerimento do deputado Francisco Limma (PT), a Assembleia Legislativa realizou na manhã desta quinta-feira(10), sessão solene especial em comemoração ao dia do Agrônomo, que transcorre no próximo sábado (12). Presidida pelo deputado Themístocles Filho, a sessão foi bastante prestigiada e contou com as presenças de representantes de órgãos e entidades do setor primário.

Presentes, o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Herbert Buenos Ayres, que representou o governador Wellington Dias; o diretor-geral do Emater, Francisco Guedes Alcoforado; Florentino Filho, do Sindicato dos Engenheiros do Piauí; e do ex-governador Guilherme Melo e outros.

Ao saudar os homenageados, o deputado Francisco Limma, autor da proposta da homenagem, destacou que a sua categoria é tão importante e abençoada que dia é comemorado em 12 de outubro, mesmo dia da Padroeira do Brasil e da criança.

“Nesse momento, devemos destacar a importância do engenheiro agrônomo para a produção de alimentos para as populações do mundo todo”, ressaltou Limma, que citou os nomes dos ex-deputados que exercem a Agronomia, embora atualmente só conte com um representante na Assembleia.

Segundo Limma, a FAO, órgão da ONU para a agricultura, revelou em estudo recente que a população mundia cresceu cerca de 50%, o que tem exigido mais ainda participação dos engenheiros agrônomos na produção de novas tecnologias de alimentos para atender a fome da população mundial.

Limma defendeu maior participação da agricultura familiar na luta para a produção alimentos para a população do mundo, seja média e produção.

O deputado destacou ainda a sólida formação humanitária do agrônomo, que também tem como função a orientação das comunidades onde está inserido. Ele também falou do dilema quando resolveu estudar agronomia. “Meus pais perguntaram se eu estava querendo voltar pra roça, mas insisti e hoje sinto orgulho se algum filho quiser voltar pra roça e ajudar no combate à fome do povo”, disse Limma, que se formou na 17ª turma do curso de Agronomia da UFIPI, há cerca de 19 anos.

Francisco Limma disse ainda que “o papel do agrônomo não é apenas tecnicista, mas também para cuidar das pessoas e seu desenvolvimento, com a tarefa de produzir alimentos para a humanidade”. E concluiu citando um ditado popular: “Se planta na roça, a cidade almoça; e se planta, a cidade janta.

”O presidente do CREA-Conselho Regional de Engenharia e Agricultura, Francisco Ulysses Filho, agradeceu o deputado Limma pela iniciativa de homenagear os agrônomos, uma forma de resgatar o papel da categoria na produção de alimentos para o mundo. Falou também da migração de produtores para o sul do país, que tem um clima temperado como o da Europa. E defende a necessidade de investimento nas áreas de clima tropical.Já o presidente da Embrapa Meio Norte, Luis Fernando Leite, disse que “o grande desafio da agricultura do país é deixar de ser importadora de alimentos. Serão precisos avanços teconológicos, com a manutenção do equilíbrio ambiental, a força motriz da economia”, disse ele.

Edmundo Moreira - Edição: Katya D'Angelles

Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 Copyright © 2019 - Assembleia Legislativa do Piauí