Alepi

A ASSEMBLEIA | GALERIA DE FOTOS | WEBMAIL | NOTÍCIAS | OUVIDORIA | Organograma |
16-05-18 16:14

Governo quer urgência em PPP do Verdão, oposição questiona pressa

 

O deputado Francisco Lima (PT), líder do Governo, apresentou requerimento que gerou polêmica no Plenário da Casa nesta quarta-feira (16). O documento, que foi apenas lido, requer regime de urgência para a votação das mensagens 6 e 8 do Gabinete do Governo do Estado. A matéria não foi votada por falta de quorum em Plenário.
A mensagem 6, de 14 de março de 2018, pede a autorização, mediante concorrência pública, para concessão do Ginásio Poliesportivo Verdão à iniciativa privada. Já a mensagem nº 8, de 21 de março 2018, pede autorização para alienar imóveis rurais, sem perspectivas de uso, em 15 municípios do Estado. Segundo o documento, o pedido de urgência é decorrente dos prazos previstos na Legislação Eleitoral que proíbe os gestores públicos de alienar e firmar concessões de bens públicos no período de 180 dias da posso do Governador eleito.
A matéria gerou polêmica na Casa e os deputados de oposição fizeram questão de declarar seus votos contrários. 
“Nós estamos sendo pegos de surpresa com esse requerimento, que quer aprovar o repasse de imóveis do Governo para a iniciativa privada. O que nos causa espanto é essa inversão de valores do Partido dos Trabalhadores, que sempre foi contra as privatizações e que, recentemente em diversos processos de PPP's, empreendeu projetos que não são claros e que tem denúncias",afirmou Marden. 
O deputado disse que por ter maioria o Governo faz passar todos os projetos,mas que os deputados podem abrir mão de análise cautelosa das matérias, pois estariam assim, neste caso passando um cheque em branco para a iniciativa privada. 
 “Nós estamos diante de um rolo compressor, que quer passar por cima de tudo e de todos”, disse o deputado Rubem Martins (PSB), que é o relator, na Comissão de Constituição e Justiça, da mensagem nº 08. O deputado disse que preparou relatório desfavorável a comercialização de tantas terras "a toque de caixa", como definiu. 
“A princípio eu defendo o Estado mínimo, mas eu fico imaginando que o PT está criando uma esquerda neo liberal, porque quem defende essas teses de privatizar é o meu partido, e não o PT. Outra coisa lamentável é que tudo que o Governo quer vai ser urgente, ele tem a maioria, e nós não conseguimos sequer exercer o papel típico de oposição, que é fiscalizar”, declarou Robert Rios (DEM).
Luciano Nunes (PSDB) disse que o Governo tem que ter coragem de assumir as suas bandeiras. O parlamentar lembrou que o Partido dos Trabalhadores foi contrário as privatizações do Governo e hoje pratica a mesma coisa. "Mas o que nós estamos defendendo é que estamos tratando de patrimônio público, que esses projetos têm que ser debatidos até a exaustão juntamente com a população. O mais grave aqui não é privatizar, e sim querer fazer isso a toque de caixa às vésperas da eleição”, disse Luciano Nunes (PSDB).
“Eu sou a favor do que é bom para o povo do Piauí e nós estamos vendo o número de denuncias que tem contra essas PPP's que já estão no Piauí”, disse o deputado Dr. Pessoa (SD).
Base se manifesta em defesa do Governo 
Os deputados da base governistas também defenderam a suas posições favoráveis ao requerimento. “Eu subscrevi esse requerimento e quero chamar atenção em ver um deputado do PSDB falar contra a privatização é esquecer que foi esse partido que privatizou tudo de bom nesse país. E temos que esclarecer que as PPP's se diferencial em muito de privatização”, disse o deputado Evaldo Gomes (PTC).
Para o deputado Nerinho (PTB), a oposição tem que discernir entre concessão, doação, vendas e privatização e lembrou que na justificativa do requerimento está clara a necessidade de votar em urgência por conta da Lei Eleitoral. " Nós temos pouco prazo para votar”, disse o deputado Nerinho.
“Eu só quero explicar que estamos pedindo a devolução dos projetos, que estão sob poder de alguns deputados nas Comissões da Casa para que podemos aprovar ou reprovar. O que não podemos é obstruir projetos que são importante para o Estado”, disse o autor do requerimento, Francisco Limma.
O Projeto do Verdão encontra-se em vistas para o deputado Marden Menezes (PSDB) na Comissão de Constituição e Justiça que prometeram devolvê-lo na próxima reunião, que acontecerá na terça-feira, dia 22 de maio.

O deputado Francisco Lima (PT), líder do Governo, apresentou requerimento que gerou polêmica no Plenário da Casa nesta quarta-feira (16). O documento, que foi apenas lido, requer regime de urgência para a votação das mensagens 6 e 8 do Gabinete do Governo do Estado.

 

A matéria não foi votada por falta de quorum em Plenário.A mensagem 6, de 14 de março de 2018, pede a autorização, mediante concorrência pública, para concessão do Ginásio Poliesportivo Verdão à iniciativa privada. Já a mensagem nº 8, de 21 de março 2018, pede autorização para alienar imóveis rurais, sem perspectivas de uso, em 15 municípios do Estado. Segundo o documento, o pedido de urgência é decorrente dos prazos previstos na Legislação Eleitoral que proíbe os gestores públicos de alienar e firmar concessões de bens públicos no período de 180 dias da posso do Governador eleito. O pedido gerou polêmica na Casa e os deputados de oposição fizeram questão de declarar seus votos contrários. 


“Nós estamos sendo pegos de surpresa com esse requerimento, que quer aprovar o repasse de imóveis do Governo para a iniciativa privada. O que nos causa espanto é essa inversão de valores do Partido dos Trabalhadores, que sempre foi contra as privatizações e que, recentemente em diversos processos de PPP's, empreendeu projetos que não são claros e que tem denúncias",afirmou Marden.  
Acrescentando que, por ter maioria, o Governo faz passar todos os projetos,mas que os parlamentares não podem abrir mão de análise cautelosa das matérias, pois estariam assim, neste caso passando um cheque em branco para a iniciativa privada. 


 “Nós estamos diante de um rolo compressor, que quer passar por cima de tudo e de todos”, disse o deputado Rubem Martins (PSB), que é o relator, na Comissão de Constituição e Justiça, da mensagem nº 08. O deputado disse que preparou relatório desfavorável a comercialização de tantas terras "a toque de caixa", como definiu.

 

 “A princípio eu defendo o Estado mínimo, mas eu fico imaginando que o PT está criando uma esquerda neo liberal, porque quem defende essas teses de privatizar é o meu partido, e não o PT. Outra coisa lamentável é que tudo que o Governo quer vai ser urgente, ele tem a maioria, e nós não conseguimos sequer exercer o papel típico de oposição, que é fiscalizar”, declarou Robert Rios (DEM).


Luciano Nunes (PSDB) disse que o Governo tem que ter coragem de assumir as suas bandeiras. O parlamentar lembrou que o Partido dos Trabalhadores foi contrário as privatizações do Governo e hoje pratica a mesma coisa. "Mas o que nós estamos defendendo é que estamos tratando de patrimônio público, que esses projetos têm que ser debatidos até a exaustão juntamente com a população. O mais grave aqui não é privatizar, e sim querer fazer isso a toque de caixa às vésperas da eleição”, disse Luciano.

 

“Eu sou a favor do que é bom para o povo do Piauí e nós estamos vendo o número de denuncias que tem contra essas PPP's que já estão no Piauí”, disse o deputado Dr. Pessoa (SD).

 

 

Base se manifesta em defesa do Governo

 

Os deputados da base governistas também defenderam a suas posições favoráveis ao requerimento. “Eu subscrevi esse requerimento e quero chamar atenção em ver um deputado do PSDB falar contra a privatização é esquecer que foi esse partido que privatizou tudo de bom nesse país. E temos que esclarecer que as PPP's se diferencial em muito de privatização”, disse o deputado Evaldo Gomes (PTC).

 

Para o deputado Nerinho (PTB), a oposição tem que discernir entre concessão, doação, vendas e privatização e lembrou que na justificativa do requerimento está clara a necessidade de votar em urgência por conta da Lei Eleitoral. " Nós temos pouco prazo para votar”, disse o deputado Nerinho.“Eu só quero explicar que estamos pedindo a devolução dos projetos, que estão sob poder de alguns deputados nas Comissões da Casa para que podemos aprovar ou reprovar. O que não podemos é obstruir projetos que são importante para o Estado”, disse o autor do requerimento, Francisco Limma.

 

O Projeto do Verdão encontra-se em vistas para o deputado Marden Menezes (PSDB) na Comissão de Constituição e Justiça que prometeram devolvê-lo na próxima reunião, que acontecerá na terça-feira, dia 22 de maio.



 



Av. Mal. Castelo Branco, 201 - Cabral - Teresina/PI (86) 3133-3022 
Copyright © 2013 - Assembleia Legislativa do Piauí